No debate candidato do PSDB estava visivelmente inseguro. Mercadante esteve tranquilo.

agosto 18, 2010

Por Izabela Freitas

Em um apanhado geral das notícias, fica claro que o candidato do PT, Aloízio Mercadante (@Mercadante) teve mais uma vez uma conduta serena e segura durante o debate que aconteceu na última terça-feira (17) pelo site da Folha/UOL.

Mercadante reafirmou suas propostas de trazer o Estado de São Paulo para o futuro, e foi contundente em seus depoimentos. Mesmo quando questionado por um internauta que fez uma pergunta com um tempo maior do que o tempo que constava nas regras do site; sobre a discordância com Sarney, o candidato não perdeu a segurança e respondeu com coerência.

O candidato do PT também foi questionado sobre as pesquisa de votos, e mais uma vez respondeu com firmeza e honestidade, que as eleições estão apenas começando e que espera que os eleitores do Estado de São Paulo votem pela mudança.

O candidato do PSDB Geraldo Alckmin, foi o candidato mais pressionado durante o debate todo. Aloízio Mercadante e Celso Russomanno apontaram as maiores falhas do governo atual e propuseram novas medidas para corrigir as falhas do PSDB, que já está há 16 anos no controle. O candidato do PSDB estava visivelmente inseguro e algumas vezes chegou a responder determinadas perguntas quando já haviam sido feitas na rodada anterior do debate.

O candidato do PSDB chegou a comentar que estava sendo pressionado pelos colegas de debate, e não respondeu com clareza as perguntas feitas pelos internautas. O destaque foi quando um internauta perguntou se Alckmin matricularia seus filhos na escola pública, e o candidato saiu pela tangente e não respondeu a pergunta do internauta.

E ao ser questionado pelo Jornalista Josias de Souza sobre o caso ALSTON, Geraldo do PSDB titubeou e não diz porque não olhou com a devida atenção as denúncias contra a empresa. Apenas afirmou que os culpados serão punidos pelas irregularidades.

Celso Russomano, candidato do PP, fez um debate firme questionando as demoras de atendimento na saúde, e disse que uma de suas medidas consiste na melhoria de salário para valorizar a carreira dos policiais. Além disso, juntamente com Mercadante, Russomano também aproveitou o debate para apontar as falhas do governo atual, que teve 16 anos para fazer tudo o que não foi feito.

Anúncios

MERCADANTE VENCE DEBATE E COLOCA ALCKMIN NA PAREDE

agosto 13, 2010

Além de colocar propostas claras para enfrentar os graves problemas deixados em São Paulo depois de 16 anos de sucessivas gestões do PSDB, o Senador Mercadante disse a melhor frase do debate: “Alckmin não gosta de trens porque não dá prá cobrar pedágio!”

Depois de mostrar que Alckmin não construiu nenhuma nova ferrovia em São Paulo, disse que irá apostar nos trens de alta velocidade e que irá fazer uma ação contundente para melhorar o trânsito em São Paulo.

Na sua primeira intervenção Mercadante disse ser inaceitável que o Estado mais rico do país continue a pagar um dos piores salários para seus professores. Mercadante sabe que sem melhorar nossas escolas públicas, nosso Estado perderá força e nossas crianças terão menos oportunidades de futuro.

Quando Mercadante falava sobre a absurda Educação sem avaliação implantada pelos tucanos, o candidato do PSDB mentiu abertamente ao dizer que em seu governo nunca ocorreu uma greve dos professores. Imediatamente no Twitter as pessoas desmontaram a farsa com diversos links, um deles foi este: http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u17943.shtml

O mais difícil para o candidato tucano foi ter que ouvir Mercadante ler um trecho do relatório em que Serra critica a gestão Alckmin para o Tribunal de Contas. Até o candidato a presidente tucano critica Alckmin.

Everton Rodrigues